Sem Fru-Frus nem gaitinhas o mesmo será dizer que se lixe o «politicamente correcto»... Let the show go on!!!!

19
Nov 07
Há uns tempos atrás escrevi um post no meu outro blog cujo titulo era «Quando o cristal se estilhaça». Podem revisitar no link abaixo.
 
http://princesavirtual.blogs.sapo.pt/35998.html
 
O tema era a homossexualidade…recebi um comentário do Charlie que podem visitar http://cartassemvalor.blogspot.com/ e que deixo aqui, porque gostei e achei interessante.
««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««
 
Há alturas em que o amor é tanto que transborda para todo o mundo, e todo o mundo é pouco para tanto amar...
A homossexualidade é uma expressão anormal de afectos, - Não se caia na armadilha de considerar o homossexualidade uma coisa nem normal nem doentia, - mas não deixa de ser uma expressão de afecto e as pessoas profundamente apaixonadas vivem numa esfera química que as torna seres únicos.
Quem nunca se apaixonou loucamente não sabe talvez do que esteja a falar, mas nesse estado de alma, não há fronteiras nem sítios nem tempo que chegue e todo o nosso entorno é o prolongamento do nosso sentir. Tão difícil de controlar, tão difícil de esconder, impossível de fingir....
Não sou homófobo e ás vezes fico pensando como reagiria se um filho meu fosse homossexual, no entanto ser-me ia difícil aceitar toda uma alteração de perspectivas, expectativas e de paradigmas que se encaixam na nossa matriz de normalidade. Lembro no entanto, que sob esse ponto de vista, as manifestações públicas de afecto são aceites também sob esse prisma: o da normalidade, ou melhor; o que socialmente se considera entre o adequado e o aceitável.
Culturas há onde um beijo é um cumprimento obrigatório, e noutras uma crime de lesa moral. São os valores de comportamento das sociedades das quais fazemos parte. Nas sociedades mais modernas, esses valores diluem-se perante a explosão das liberdades individuais e assim somos postos perante um viver que à falta de valores universais nos fecha mais sobre nós mesmos.
E é daqui que nasce o paradoxo que nos faz reparar como é precisamente nas sociedades mais abertas que mais movimentos conservadores e regressecionistas surgem, com destaque para os Estados Unidos. Em certos Estados, ao mesmo tempo que os bares de strip fazem furor, é proibido uma mãe dar mama a um filho em público...
Quanto ao post propriamente dito e cingido à temática, não sendo de alguma forma fundamentalista como os nossos amigos dos States, nem tão liberal como eles depois esquizofrenicamente se revelam, estou de acordo que um pouco de recato não faz mal a ninguém. São homossexuais? Pois que sejam felizes, mas evitem fazê-lo ao meu colo....
««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««
Com os melhores Cumprimentos desta vossa (salvo seja) PrincesaVirtual
publicado por PrincesaVirtual às 12:55
sinto-me:

comentário:
Olá virtualidade Real.
Obrigado pelo destaque.
Acrescentaria apenas antes da linha final uma outra. Não só (a)os homossexuais tem o direito a serem felizes desde que não o sejam ao meu colo, mas também os outros. Amar é uma coisa boa demais para ser banalizada e reduzida ao mero espectáculo gratuito.
Charlie a 20 de Novembro de 2007 às 08:02

Novembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


Mais Musica
mais sobre mim
pesquisar
 
Os Fru-Frus que tocam...
Quem está agora a ver os Fru-Frus...
blogs SAPO