Sem Fru-Frus nem gaitinhas o mesmo será dizer que se lixe o «politicamente correcto»... Let the show go on!!!!

18
Jul 07

 

…..
 
Ele - Primeira agora,….segunda….já devia estar na terceira…
Ela -ok ok…
Ele -Deixa passar esse carro…não sejas como a maioria das «gajas», umas cabras de umas «foçangonas»…
Ela -hmmmm...hmmmm…
Ele – está uma pessoa na passadeira…
Ela – sim estou a ver…
Ele – vai devagar…
Ela – estou a ir muito devagar…
Ele – tens que parar…
Ela – eu sei…mas ainda estou longe…
Ele – mas tens que te precaver…tens que ser preventiva…
Ela – ok ok ( a travar e a bufar…de nervos…)
Ele – pára…
Ela – estou a parar…
Ele – pára…Pára…PÁra…PÁRa… PÁRA…PÁRAAAAAAAAAAAAAAAAA….
Ela – ( a ranger os dentes) não grites que estou parada!
Ele – ok não tinha a certeza se estavas a ver a pessoa…
Ela - (com a vista turva de raiva) a pessoa estava no meio da passadeira, até um míope a via…
Ele – Ok, vamos…acelera…se não aceleras deixas o carro ir abaixo…
Ela – OK…
Ele – tens que ouvir o carro…sentir o carro…por isso deixas o carro ir abaixo (uma dissertação durante 15 minutos sobre deixar o carro ir abaixo, sentir o carro etc etc…)
Ela – (quase à beira de um ataque de nervos) Eu ainda não deixei ir o carro abaixo pois não???
Ele – não…mas é apenas para não deixares…
Ela – ok (quase em estado profundo de fúria-comatose)
Ele – não aceleres, olha uma curva, vai devagar…
Ela – OK…
Ele – estás a travar pq?????!!!!
Ela – uma curva….
Ele- opáaaa acelera isso... já viste a fila que tens atrás de ti?????
 
……..
 
Conclusão: Não há pachorra para «gajos» no lugar do «pendura». Se isto fosse sempre assim acho que daria em lésbica!!!!
 
 
 
Uma boa semana para todos :)
 
publicado por PrincesaVirtual às 14:20
sinto-me:

09
Jul 07

 

Tive umas pequenas férias em Junho, aproximadamente 10 dias.
Durante 10 dia viajei pelos «Picos da Europa» e Costa Basca. Adorei! Único!
Mais de 3.000 Km de estrada. Simplesmente FANTÁSTICO!
Dez dias no meio das montanhas com o som dos rios e cascatas, a saboriar a doçura da vegetação, a sentir a frescura dos dias. Quase que somos levados a  acreditar que a nossa vida é aquilo.
Somos acometidos por uma paz infinita e momentos de felicidade atingem-nos impiedosamente.
Num desses dias, tal como em quase todos, procuràmos um local com todas estas características para almoçarmos e nos deixarmos arrebatar. Nesse dia em particular fomos brindados com mais uns sons, que também faziam parte deste cenário, pastores e cabras…
Os gritos dos pastores ecoavam pela montanha, assim como os chocalhos e balidos das cabras.
Comecei a perscrutar a montanha e nos sítios mais íngremes e insidiosos, descobri as cabras e os pastores.
Naquele dia parecia que existia alguma dificuldade em reunir os animais, quase que não se distinguia os saltos dos animais, com os dos pastores. Apercebi-me que o objectivo seria fazer com que os animais descessem a montanha escarpada para atravessarem uma estreita ponte de pedra (que atravessava o rio), alcançando assim a outra margem.
Almocei e no fim continuava a ouvir os animais e os pastores, sinal que os animais ainda não estavam reunidos.
Não resisti em ir espreitar. Vinha a subir um dos pastores com uma cabra presa por uma corda que se debatia vigorosamente. De tal forma que à revelia do pastor conseguiu saltar uma vedação. Tendo assistido a seguir a uma verdadeira cena de pancadaria entre um pastor e uma cabra, e ainda apreendi alguns palavrões em Espanhol que obviamente me escuso a reproduzir aqui!
Um menino de aproximadamente 4 anos tinha-se se colocado ao meu lado. Pelos gritos que lançava aos animais, apercebi que deveria fazer parte da família dos pastores.
Ele ia-me deitando uns sorrisos e deu-me um «olá», que eu obviamente retribui.
Depois o pastor mandou-nos afastar com uns grunhidos roucos (depois da pancadaria que tinha assistido entre o pastor e a cabra, confesso que achei por bem entender perfeitamente os grunhidos), caso contrário as cabras não subiam.
Foi quando o menino começou a fazer perguntas. Fui respondendo em monossilabos no meu parco Portunhol (Portunhol da Princesa: lá garfo, lá faca, lá montanha…), algures nas minhas incursões por Espanha descobri que o «lá» fica sempre bem.
Mas claro que estava a falar com uma criança de 4 anoo, que após o segundo «lá», perguntou franzindo as sobrancelhas:
 
-És Inglesa???
 
Deu-me vontade de rir e disse que não.
 
- Ahhh …. És de onde???
 
E no mesmo instante sem ouvir a resposta, saltou a vedação, balançando-se perigosamente na escarpa lançando uns gritos às cabras…
Entrei em pânico, as crianças de 4 anos que conheço não fazem aquelas coisas e por isso puxei de todo o meu léxico Espanhol e gritei uns «niño» e uns «mira»….
O rapazito percebeu a minha aflição e fez-me sinal que estava tudo bem… Sosseguei, quando ele voltou novamente para detrás da vedação.
 
- És de onde???? – voltou ele a perguntar
 
Respondi:
 
- De Portugal…
 
-Ahhhhh e isso é onde????
 
Pensei na melhor resposta. Achei que dizer-lhe que era aquele condado Portucalense que por um infeliz lapso estratégico do D.Afonso Henriques não era Espanha… não seria muito claro. Por isso respondi:
 
- É muitoooooooooo (prolonguei a vogal) longe…
 
O olhar do miúdo iluminou-se de compreensão e com um sorriso na cara disse:
 
-Ahhhhhhhh muitooooo longe... Já sei é em BADAJOZ…
 
Tive um ataque de riso…despedi-me da criança e voltei à estrada!
 
Desejo uma boa semana a todos :)
publicado por PrincesaVirtual às 09:00
sinto-me:

02
Jul 07
Há pequenos momentos deliciosos …
Olhando para trás diria, que há bem pouco tempo estes momentos me passariam ao lado.
Gosto, desta espécie de filtro de momentos que desenvolvi.
A maioria das vezes comento-os verbalmente. Mas, sinto que ninguém os ouve como pequenos (grandes) momentos… e por isso quando me apetece escrevo-os, para minha memória futura.
Na semana passada fui beber um café onde usualmente almoço, a um daqueles pequenos quiosques, geralmente plantados nos meios dos centros comerciais.
Quando estava debruçada no balcão a aguardar o meu cafezinho, a senhora que serve os cafés que é «simpatiquérrima», brasileira e senhora de cinquentas e tais, olhou para o meu braço e exclamou (com o seu sotaque brasileiro):
 
-Aiiiii qui pulseira linda…minha nossa. É prata???!!!
 
Respondi que sim, que me tinha sido oferecida.
 
-Xiiii qui sórtiiss…quem me dera que me oferecessem coisas assim…
 
E continuou enquanto eu sorvia o meu café, bastante divertida, com o seu sotaque e exclamações brasileiras.
 
-O meu marido é muito do técnológico. Que é quem mi oferece prendas né… Éstas aqui, mostrando-me as várias pulseiras de prata do pulso, enquanto abanava o seu antebraço perigosamente perto do meu nariz e da minha chávena-, sou eu qui compro todas!
 
Como fiquei calada e continuava atenta a senhora brasileira continuou.
 
-Olha, tudo o qué técnólógia, é só vêri qui ele compra…vê no jornal compra, no anuncio compra, na caixa postal compra, na montra e já comprou…
 
Estava-me a divertir a imaginar o marido tecnológico da senhora.
Pensei, bem esta senhora deve ter uma colecção inteira de telemóveis de ultima geração.
 
Foi quando a senhora continuou:
 
-Ólha minha filha é assim, ele compra maquina para depilar axila, máquina para depilar bigodinho, máquina para depilar na virilha, máquina prá colocár o gelinho e não doer…tudo o que é novo e tecnológico prá dépilar, meu marido compra…
 
Despedi-me perdida de riso antes que a senhora me contasse pormenores sobre a sua depilação…
 
A Princesa Virtual deseja-vos uma boa semana, pede desculpa pelo afastamento…mas não lhe tem apetecido blogar :)
 
A Princesa Virtual manda um beijinho a todos os súbditos, mas especialmente à minha amiga Lurdes que não desiste de fazer má cara pela minha ausência ;)
 
Ps Lurdinhas não me lembro do desafio que me lançaste???
publicado por PrincesaVirtual às 18:34
sinto-me:

Julho 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


Mais Musica
mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Os Fru-Frus que tocam...
Quem está agora a ver os Fru-Frus...
blogs SAPO