Sem Fru-Frus nem gaitinhas o mesmo será dizer que se lixe o «politicamente correcto»... Let the show go on!!!!

23
Mar 07
Aconteceu-me uma coisa estranha… Pelo menos a mim pareceu-me estranho (inicialmente)!
Um passeio original…diria mais, um passeio diferente.
Ninguém passeia por aquele local e sente interesse…eu não conheço ninguém que o tenha feito…
Por razões que não vou revelar, há algumas semanas dirigi-me a um cemitério. Sempre me arrepiou cemitérios, o que se deve obviamente a influências de filmes e histórias de terror…
Mas naquele dia fui forçada a ir…e assim enquanto a M. que me acompanhava falava com um conhecido…eu deambulei entre o mundos dos mortos.
Este cemitério fica perto do local onde cresci. Por isso quando olhei para as campas comecei a reconhecer pessoas…e isso foi a primeira coisa que determinou aquele passeio.
À medida que ia deambulando pelas campas, fui desfolhando álbuns inteiros de famílias…fotos tão antigas… de séculos passados…casais com sorrisos na cara…meninos…meninas…mães…pais…irmãos...tios…tias… . Homens e mulheres de outros tempos…de poses quase teatrais…
Cada uma daquelas pessoas viveu e tinha uma história…algumas daquelas pessoas certamente que já não faziam parte da recordação de ninguém, já ninguém as eternizava, tudo que restava delas…era aquela foto numa campa.
Apesar de passear por entre os mortos, nada ali me atemorizou, ou me entristeceu…por estranho que pareça fui acometida por uma doce nostalgia e mesmo que não tivesse um sorriso espelhado na cara, estava certamente a sorrir para dentro…
Quando M. me tocou no braço, contrariada findei o meu passeio. Tínhamos que procurar a figura do «coveiro» disse-me M. (julgo que coveiro agora deve ter outro nome mais pomposo, qualquer coisa como responsável administrativo dos mortos que aqui residem…) havia uma casa castanha algures, tinham dito a M. , era lá que encontraríamos o senhor…
 
Procurámos a casa durante algum tempo e por fim dêmos com ela, parecendo a mesma estar fechada.
Havia um papel na porta e umas pequenas escadas para aceder, assim M. pediu-me que fosse ler o papel, eventualmente seria algum horário.
E assim fiz, subi as escadas e dou graças a Deus por aquele cemitério estar semi-vazio, caso contrário M. não me teria perdoado por tamanha «ignomínia», contava assim o papel na porta da casa-castanha-no-meio-do-cemitério :
 
AVISO: Não são permitidos, chapéus-de-sol, cadeiras de praia, bancos e piqueniques no cemitério. Todos esses objectos serão retirados pela junta de freguesia se deixados no local!!!
 
Confesso que a minha gargalhada foi expansiva (vulgo a tal IGNOMÍNIA para M.)…afinal havia mais, quem achasse que um cemitério nem era assim tão desprezável e desconfortável… ;)
 
Com os melhores cumprimentos da vossa (salvo seja) Princesa Virtual
publicado por PrincesaVirtual às 18:43
sinto-me:

comentários:
Geralmente também não vou muito a cemitérios, mas quando é preciso ir trocar as flores da campas, tenho de levar lá a minha mãe e então também costumo deambular por lá.
Também a mim me acontece sentir uma certa simpatia por aqueles que ali figuram nas fotografias, podendo-se muitas vezes acompanhar o percurso de uma família.
Geralmente arrepio-me sempre.
Mas essa do papelinho....hilariante mesmo.
Angel a 24 de Março de 2007 às 02:28

Eu devia ter tirado uma foto do papelinho...pq aqui é unico eheh...

Beijos anjinha :)

Por acaso tb gosto de passear nos cemitérios, embora não seja local onde costume ir passear. è um local em que se sente uma estranha calma. Mas agora me lembro que nunca levei um chapéu de sol... ou pelo menos, nunca me esqueci lá dele.
Fernando a 24 de Março de 2007 às 15:20

Fernando ...olha...sabes uma coisa...és quase tão estranho como eu ahahahaha

beijos :)

O "quase" deixa-me confortado... Acho eu....
Fernando a 27 de Março de 2007 às 17:56

Cara amiga.

Gostei muito do teu blog e espero visistar-te mais vezes! Queria adicionar-te como amiga, linkar-te.

PS. Ensinas-me a colocar música permanente no meu blog do SAPO? É que eu sou um lerdo autêntico nisso.
Obrigado e um beijinho.

Jorge
Madrigal a 25 de Março de 2007 às 10:27

Olá Madrigal,

muito obrigado pelo seu comentário :) e bem vindo aos meus frufrus. Tenho todo o gosto em explicar como pode fazer para ter musica no seu blog, mas não consigo seguir o seu link e como tal decobrir o seu blog. O seu perfir é confidencial ;)

Se quiser envie-me o seu endereço ou e-mal para o endereço de e-mail da Princesa .

Cumprimentos :)

O meu mail é: glauco61@gmail.com

Madrigal

Um beijinho e obrigado por tudo! Agradeço que me ajudes!
Madrigal a 31 de Março de 2007 às 13:13

Ora viva!

Quando eu era um puto xarila, costumava jogar à bola no cemitério junto a uma zona sem campas.
Afinal, aquilo tinha um óptimo relvado e achei que seria melhor aproveitado para dar uns chutos na bola. Nesse mesmo cemitério existe uma zona de merendas (?!). A sério, dá para fazer piqueniques e até estender uma toalha para apanhar sol. É o único cemitério multiusos que conheço, embora só conheça dois na verdade. Felizmente.
Uma óptima semana!

Um abraço...
shakermaker

Essa do cemitério multi-usos está gira eheheeh

As coisas que vou apreendendo por aqui :D

Beijos (rectadaos) SIR ;)

É hábito antigo, este meu, de deambular por cemitérios. Conhecidos, desconhecidos, há-os bonitos feios. Há muitos anos atrás quando ganhava a vida a escrever em revistas e jornais, consegui publicar uma crónica que se chamava "Passear por cemitérios" ou qualquer coisa assim do género. Quando o encontrar vou postá-lo.
Do aviso, é comum em diversos cemitérios...sem comentários.

sonhos arrepiantes
Sonhador de Alpendre a 26 de Março de 2007 às 19:33

Quando o publicares passo por lá para espreitar :)

Bjs :)

Esse aviso é, no mínimo, de rir! Mas se está lá, alguma razão haverá...
Apesar de só lá entrar uma vez por ano (regra geral), o cemitério da minha aldeia é bem apaziguante...
Beijinhos
Lurdes a 26 de Março de 2007 às 23:40

Pois de facto deve haver alguma razão ... ;)

Beijos Lurditas

Pluma, não procures mais. Vai ao Shakermaker (salvo seja...) e lê um post recente. :-)
Martini Man a 27 de Março de 2007 às 08:35

Já li...já li :D

Hello hello Martini Man ;)

bjs :)

Isso deve ser esse góticos maluques que adoram pic pics com os mortos!
Aragana a 27 de Março de 2007 às 16:25

ahahaha opa Aragana só tu pare me colocares a rir :P

Beijos :)

Portugal no seu melhor. Impressionante.
Pingo de Mel a 29 de Março de 2007 às 17:09

É isso sim... :) Portugal no seu melhor :D

Bem vinda(o) aos meus frufrus ...

Cumprimentos da Princesa

Deambulando pela blogosfera dou com este canto que me parece simpatico. Prendeu-me a atenção este post. Insólito ou não, gosto de cemitérios. Não porque seja tétrico, mas porque será talvez o local onde se encontra a maior calma do mundo. Não só calma como tranquilidade, quiçá transmitida por todos aqueles que la residem, que não falam, mas comunicam. Ou não teria meditado um pouco em cada um deles e na sua história
Voltarei se possivel fôr
Provisorio a 30 de Março de 2007 às 00:03

Março 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
20
21
22
24

25
26
27
28
29
30
31


Mais Musica
mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Os Fru-Frus que tocam...
Quem está agora a ver os Fru-Frus...
blogs SAPO