Sem Fru-Frus nem gaitinhas o mesmo será dizer que se lixe o «politicamente correcto»... Let the show go on!!!!

22
Mar 09

 

Sou mulher (agora quem me lê deve estar a pensar: olha que novidade!) e como tal é suposto eu entender as mulheres.
Posso não concordar com todos os comportamentos femininos … mas regra geral entendo-os.
 
As mulheres são naturalmente sensuais, depois há as que sabem tirar muito bem partido disso, as que não sabem (e tem potencial) e aquelas que julgam que sabem mas que borram a pintura toda!
 
Dando um exemplo elucidativo, quando tinha 20 anos (mais anito, menos anito…) já tinha conhecimento do «dom natural» inerente ao ser mulher, sendo que não precisava de me esforçar muito para o revelar ou sequer trabalhá-lo.
 
As minhas pernas longas, o meu rabo de vinte anos e uns calções pretos que tinha,(que  não eram escandalosamente ousados, revelando apenas o necessário), faziam de mim uma mulher sensual!
 
Ahhh usava-os na praia por cima do fato de banho (passava as ferias grandes na praia), sendo que o meu pai os detestava. Assim quando o pai da Princesa estava presente anulava-se a sensualidade e puxava-se os calções para baixo, ficando eu numa situação periclitante de os perder, não fosse os cordões que os prendiam fortemente às minhas ancas. Quando o pai da Princesa estava off, os calções voltavam ao lugar deles, mostrando metade das bochechas do meu rabo de Princesa.
 
Não me ficava mal…tinha 20 anos e um rabo «admirável» para revelações!
 
Não me considero uma «old-fashion», acho piada aos miúdos de 13 e 14 anos com as calças a meio do rabo e as cuecas (de marca) à mostra, gosto de piercings no umbigo das meninas com barriguinhas delineadas (mas fico-me por aqui, apenas porque tudo o resto que leve ferros para além de achar que deve ser doloroso, acho esteticamente horrível), gosto de tattos pequenas em sítios para descobrir… etc etc...
 
E tudo isto para vos contar que na passada semana tal como muitos Portugueses, rendi-me ao consumismo do dia do pai e dirigi-me a um centro comercial para comprar uma prenda.
 
Assim entrei numa loja conhecida e deparei-me com uma empregada nova que me dirigiu um simpático sorriso.
 
Uma mulher de trinta (e alguns) próximo dos quarenta, loura (decididamente falsa), uma cara bonita, o chamada «magra-ó-rechonchuda» com umas ondulações laterais (notava-se isso porque usava calças de cintura descaída e uma blusa relativamente curta), sendo que era mais baixa que eu.
 
Até aqui tudo normal e confesso que me foquei nestes pormenores mais tarde…depois…
 
O depois… começou no exacto momento em que pedi o que queria, reclamei de ter estado no centro às 10 para as 10 da manhã e não me terem atendido porque faltavam os tais 10 minutos (resmunguei entre dentes que era o que dava serem empregadas e não donas), sendo que entretanto tinham acabado por vender o pólo que eu queria… blá blá…
 
A vendedora ouviu as minhas reclamações sendo que me disse (por forma a me acalmar) que tinha o que eu queria em outras cores e voltou-se para o móvel de costas para mim, inclinando-se ligeiramente para procurar nas prateleiras os pólos.
 
E foi quando tive a revelação de um «rabo de uma mulher» virado para mim!  Eu passo a explicar,  para que não entendam que a revelação é um qualquer rabo de mulher…não… de todo! Era especificamente o rabo daquela mulher, as calças como disse eram de cintura descaída, sendo que na parte de trás as calças estavam a meio do rabo (meio mesmo!!! …sem exageros!), mostrando metade de umas cuecas pretas que estavam subidas até à cintura e uma espécie de fio preto que rodeava as ancas. Fiquei a olhar para aquele rabo e a pensar se dava uma valente gargalhada, ou se lhe dizia «-olhe desculpe a senhora tem metade das cuecas à mostra e metade das bochechas do seu rabo entaladas entre umas cuecas, um fio preto e umas calças de ganga!».
Mas não fiz nada disso e agradeci aos deuses estar sozinha na loja, o que me permitiu um certo controlo sobre a gargalhada que borbulhava…e teimava em querer sair! Estava eu a agradecer isto quando entrou um homem na loja!
 
Pensei ai meu Deus estou lixada! Vou-me partir a rir…
 
O senhor de aproximadamente sessenta e poucos anos queria saber o preço de uma blusa que estava na montra. A vendedora saiu de trás do balcão, dirigiu-se à montra pediu com licença ao senhor, espetou-lhe o rabo quase na cara e baixou-se o suficiente para que a visão (do rabo) fosse novamente escandalosamente reveladora para o dito senhor!
 
As calças desceram até aquele ponto em que as cuecas começam a diminuir de largura e em que com alguma imaginação já se denuncia mais qualquer coisa para além do rabo!
 
Julgo que o senhor deu por aquilo (mas corajosamente não o demonstrou)…apenas mudou de cor e balbuciou um obrigado, saindo da loja apressadamente…
 
Eu a muito custo consegui-me manter serena, ouvi os comentários da vendedora sobre o pólo, que tinha levado um para o marido, para os filhos darem ao pai, blá blá…
 
Isto para dizer o que?? Para acabar como comecei, eu sou mulher até entendo as mulheres, mesmo não concordando com muitos comportamentos…
 
Mas confesso que este me passou ao lado…
 
Alguém me pode explicar que raio era aquilo??? Será que era alguma espécie de apanhados e vou aparecer na TV???!!!
 
Porque sensualidade não me parece, potencial (hmmm pareceu-me fraco)…como tal só poderia ser mais um caso de «mulher-borra-a-pintura»…
 
@  uma exelente semana da vossa (salvo seja) PrincesaVirtual
 
PS Para os meninos que me lêem esqueçam que não divulgo as coordenadas da dita loja…
 
 
publicado por PrincesaVirtual às 17:14
sinto-me:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Março 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

23
24
25
26
27
28

29
30
31


Mais Musica
mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Os Fru-Frus que tocam...
Quem está agora a ver os Fru-Frus...
blogs SAPO