Sem Fru-Frus nem gaitinhas o mesmo será dizer que se lixe o «politicamente correcto»... Let the show go on!!!!

09
Abr 09

 

 

Eventualmente não deveria escrever sobre isto. Ninguém fala destas coisas com excepção da Aragana do blog ali ao lado que no outro dia mencionou este assunto num dos seus posts.
 
Todos os que trabalham num escritório conhecem as «casa-de-banhos» partilhadas. Partilhadas porque basicamente são sanitas separadas por divisórias de placard ou seja é quase a mesma coisa que estar sentada na sanita ao lado de outra pessoa, apenas não a vemos.
 
Não faço a menor ideia quem inventou este tipo de casa-de-banhos, mas estou convicta que foi alguém que era profundamente surdo(a) e palerma.
 
Confesso que me incomoda sobremaneira os barulhos que se ouvem do lado, o xixi a cair na loiça da sanita, o resfalfar do papel higénico, etc etc nem me vou alongar mais…
 
Já me aconteceu muitas vezes puxar o autoclismo para não ouvir os barulhos, ou então nem fazer nada, levantar-me e voltar mais tarde, na esperança que o WC esteja vazio.
 
E muitas vezes pelo silêncio que oiço nos WC´s do lado (que muitas vezes não passam de compassos de espera para que as outras pessoas saiam) calculo que o constrangimento possa ser geral.
 
Assim na passada quarta-feira entrei no WC e fiquei contente, ninguém!…Sentei-me na sanita. Sendo de referir que aquelas sanitas tem aqueles plásticos muito higiénicos que rodam e que nos permitem sentar sem medos de apanharmos alguma maleita e mais umas quantas mariquices desinfectantes …
 
Estava eu a meio da minha necessidade fisiológica, mais concretamente um xixizinho, quando oiço uns tacões de saltos altos apressados e alguém se sentou na sanita ao meu lado.
 
Entre ouvir o zip das calças, o elástico das cuecas, o plástico da sanita a correr…apercebi-me que ao lado havia stress e tudo era feito muito rapidamente.
 
Mantive-me em silêncio e pensei hmmm a moça do lado vai sair primeiro, isto enquanto deitava a mão ao papel higiénico…
 
Digo-vos fui completamente apanhada desprevenida, sem ser perdida nem achada vi-me no meio de uma 4ª Guerra Mundial! O bombardeamento deixou-me siderada, as armas pareceram-me letais e fatais…
 
E eu que até já estava quase despachadinha para sair, fiquei em pânico ao pensar que ia abrir a porta e dar de caras com a pessoa responsável pela 4ª Guerra Mundial.
 
Lembro-me de pensar ai meu deus que constrangimento e agora???!!! Porque raio não fiz eu barulho, quando ela entrou??? Porque não bati com os pés e tossi alto??? Sim que isso evitaria o holocausto e o bombardeamento…
 
Mas nada estava perdido, assim resolvi avisar a rapariga do lado que EU estava ali! Evitando desta forma que ela saísse ao mesmo tempo e déssemos de cara uma com a outra. Basicamente tentaria fazer uma transferência do meu constrangimento para ela, o que me parecia mais que justo, uma vez que eu era a vitima!
 
E assim fiz…bati com força com os pés no chão, subi com tanta força o zip das calças que quase o ia arrancando e amachuquei papel higiénico ruidosamente e desnecessariamente (as arvozinhas que me perdoem este desperdício) …
 
Ia a meter a mão no fecho da porta, quando o segundo bombardeamento aconteceu e pensei …RAIOS… a isto chama-se PARTILHAR!!!!!!
 
Suspirei e baixei a tampa da sanita, sentei-me resignadamente e aguardei que a pessoa do lado saísse, estava tão constrangida, que pensei que preferia que a GUERRA não tivesse cara.
 
Abandonei o meu refúgio, quando ouvi a porta de acesso a bater...
 
Claramente o à vontade de algumas pessoas continua-me a surpreender.
 
Uma boa Páscoa a todos da vossa @PrincesaVirtual

 

publicado por PrincesaVirtual às 19:09
sinto-me:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Abril 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
21
22
23
24
25

27
28
29
30


mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
blogs SAPO