Sem Fru-Frus nem gaitinhas o mesmo será dizer que se lixe o «politicamente correcto»... Let the show go on!!!!

23
Mar 07
Aconteceu-me uma coisa estranha… Pelo menos a mim pareceu-me estranho (inicialmente)!
Um passeio original…diria mais, um passeio diferente.
Ninguém passeia por aquele local e sente interesse…eu não conheço ninguém que o tenha feito…
Por razões que não vou revelar, há algumas semanas dirigi-me a um cemitério. Sempre me arrepiou cemitérios, o que se deve obviamente a influências de filmes e histórias de terror…
Mas naquele dia fui forçada a ir…e assim enquanto a M. que me acompanhava falava com um conhecido…eu deambulei entre o mundos dos mortos.
Este cemitério fica perto do local onde cresci. Por isso quando olhei para as campas comecei a reconhecer pessoas…e isso foi a primeira coisa que determinou aquele passeio.
À medida que ia deambulando pelas campas, fui desfolhando álbuns inteiros de famílias…fotos tão antigas… de séculos passados…casais com sorrisos na cara…meninos…meninas…mães…pais…irmãos...tios…tias… . Homens e mulheres de outros tempos…de poses quase teatrais…
Cada uma daquelas pessoas viveu e tinha uma história…algumas daquelas pessoas certamente que já não faziam parte da recordação de ninguém, já ninguém as eternizava, tudo que restava delas…era aquela foto numa campa.
Apesar de passear por entre os mortos, nada ali me atemorizou, ou me entristeceu…por estranho que pareça fui acometida por uma doce nostalgia e mesmo que não tivesse um sorriso espelhado na cara, estava certamente a sorrir para dentro…
Quando M. me tocou no braço, contrariada findei o meu passeio. Tínhamos que procurar a figura do «coveiro» disse-me M. (julgo que coveiro agora deve ter outro nome mais pomposo, qualquer coisa como responsável administrativo dos mortos que aqui residem…) havia uma casa castanha algures, tinham dito a M. , era lá que encontraríamos o senhor…
 
Procurámos a casa durante algum tempo e por fim dêmos com ela, parecendo a mesma estar fechada.
Havia um papel na porta e umas pequenas escadas para aceder, assim M. pediu-me que fosse ler o papel, eventualmente seria algum horário.
E assim fiz, subi as escadas e dou graças a Deus por aquele cemitério estar semi-vazio, caso contrário M. não me teria perdoado por tamanha «ignomínia», contava assim o papel na porta da casa-castanha-no-meio-do-cemitério :
 
AVISO: Não são permitidos, chapéus-de-sol, cadeiras de praia, bancos e piqueniques no cemitério. Todos esses objectos serão retirados pela junta de freguesia se deixados no local!!!
 
Confesso que a minha gargalhada foi expansiva (vulgo a tal IGNOMÍNIA para M.)…afinal havia mais, quem achasse que um cemitério nem era assim tão desprezável e desconfortável… ;)
 
Com os melhores cumprimentos da vossa (salvo seja) Princesa Virtual
publicado por PrincesaVirtual às 18:43
sinto-me:

comentários:
Deambulando pela blogosfera dou com este canto que me parece simpatico. Prendeu-me a atenção este post. Insólito ou não, gosto de cemitérios. Não porque seja tétrico, mas porque será talvez o local onde se encontra a maior calma do mundo. Não só calma como tranquilidade, quiçá transmitida por todos aqueles que la residem, que não falam, mas comunicam. Ou não teria meditado um pouco em cada um deles e na sua história
Voltarei se possivel fôr
Provisório a 30 de Março de 2007 às 00:05

Deambulando pela blogosfera dou com este canto que me parece simpatico. Prendeu-me a atenção este post. Insólito ou não, gosto de cemitérios. Não porque seja tétrico, mas porque será talvez o local onde se encontra a maior calma do mundo. Não só calma como tranquilidade, quiçá transmitida por todos aqueles que la residem, que não falam, mas comunicam. Ou não teria meditado um pouco em cada um deles e na sua história
Voltarei se possivel fôr
Provisório a 30 de Março de 2007 às 00:09

As minhas desculpas pela confusa repetição de comentário, ao fim e ao cabo sem identificação precisa. Creio agora estar tudo no seu lugar.
Provisorio a 30 de Março de 2007 às 22:50

Antes de mais muito obrigado pelo seu comentário e por me ter deixado o link de seu canto ;) assim que tiver um tempo vou passar por lá.

Seja bem vindo ao meu cantinho :)

Cumprimentos da Princesa

Olá Sua Alteza:
Na minha infância acompanhava as visitas semanais de minha avó ao cemitério e durante anos perseguia-me a recordação um pouco mórbida dos mortos tão característica das gentes do porto.
Mais tarde, muito mais tarde dou por mim por vezes em veraneios pelo ce mitério tal como o que descreve Vossa Alteza. É condição essencial ser um dia sossegado...
Beijo
Maria Papoila a 31 de Março de 2007 às 01:46

Já vi que antes de mim, muita gente descobriu os passeios nos cemitérios ahahaha

Beijos Papoilita ;)

Bem Princesa muito eu ri ao ler este teu artigo. (Vou-te confessar que até o li em voz alta aqui para a família). Continuas a escrever de uma maneira amirável, que nos prende, que nos faz ler o artigo até ao fim, com o maior interesse. Já te devem ter dito muitas vezes, mas acho que eu nunca to disse: Princesa, tens um grande talento para escrever. Vemos por aí tantos livros publicados com uma escrita que não chega "aos calcanhares" destes teus artigos. Pensa nisso a sério...

Beijinhos
Boa semana
RB
RB a 1 de Abril de 2007 às 00:49

Rb muito obrigado pelo teu comentário és uma simpatia...mas na verdade sem falsas modéstias, não me levo muito a sério na escrita...apenas me divirto e acho que para me diverir um pouco, escrevo qq coisa «apresentável» para que alguém possa ler :)

Beijosss e uma exelente Páscoa para ti e para os teus :)

Os cemitérios daqui são mais pequenos... ali está a bisavó e o bisavô, mais à frente os "tetras" e por ali a prima-avó x...

Não há espaço para piqueniques...

E eu não gosto de cemitérios...

Sim... faz-me especial impressão "encontrar" pessoas conhecidas naquelas fotos. Gente da minha idade... vizinhos, colegas da escola... alguns mais velhos mas claramente jovens de mais para terem ali a foto... (digo eu).

Mas eu não gosto de cemitérios mais pelos vivos que pelos mortos...

Há uma espécie de "concurso" camuflado para a melhor campa, as flores mais frescas, a homenagem mais bonita, o maior número de velas ou de imagens de Nossa Senhora e dos santos, como se isso determinasse quem foi mais amado pelos seus entes queridos...

E os cuscos que nos perguntam se somos filhos, netos ou sobrinhos do enterrado naquela campa...

E os que criticam a forma de expressar a dor de cada um... porque é diferente da sua...

Os 'pedintes' à porta que mais não são que 'difusores' de noticias sobre quem lá esteve ou quem não lá vai há demasiado tempo...

Ainda bem que há quem consiga conviver com isso entre uma sandes e um sumol... eu não...

Beijinhos xxx
stressadinha a 3 de Abril de 2007 às 11:53

Stressadinha,

tendo a concordar com quase tudo o que disseste...e a maioria tb me desagrada profundamente...mas o meu passeio foi uma espécie de passeio solitário...diferente...

Beijos e uma boa Páscoa :)

ups... desculpa o abuso de espaço !! :) Bjs, Stressadinha xxx
Anónimo a 3 de Abril de 2007 às 11:53

O espaço é todo teu...disponha ;)

À minha Princesinha favorita, nem lhe passa pela cabeça, as coisas que se fazem num cemitério.
kuka a 4 de Abril de 2007 às 08:56

Ai sim??? como por exemplo meu «Chefe» preferido :D ehehe

Beijossss e boa Páscoa (deves estar muito ocupado nestes dias!!!)

Realmente esse aviso marca a diferença.

Mas sabes o que me faz imensa confusão? É no dia de finados, andar no cemitério com a minha mãe e tia e esta comentar comigo:

- Oh XPTOzinha, sabes de quem são estas campas?

Eu olho para ver se reconheço as pessoas pelas fotos e não vejo foto de ninguém... e é qd ela me diz que são as campas do casal que cumprimentamos no café.

Credo, que mórbido! Ir visitar a minha futura morada, estando ainda vivo. Mas há gente para tudo...

Beijos mil em tu :) Gosto muito, muito de ti (e hoje sonhei contigo, imagina só... não foi muito bom, mas depois da nossa conversa, aconteceu).
Lobaaaaaaaaaaaaaaaaa a 4 de Abril de 2007 às 13:44

Ai sonhares comigo e nãos ser bom??? Que é lá isso...
Tb gosto de ti Lobita...beijinhos e uma exelente Páscoa.

Beijossss :)

Passo para desejar uma Feliz Páscoa a Vossa Alteza.
“Cotovia canta-me as tuas canções
no nascente azul de voo erguido
ao encontro do Sol… recém-nascido
que na rósea alvorada ao céu levantas
nos frémitos da luz… feliz… incauta!”
Beijos!
Maria Papoila a 4 de Abril de 2007 às 17:15

Que belo ovo de Páscoa me deixaste :)

Boa Páscoa Paoila beijosssss :)

Março 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
20
21
22
24

25
26
27
28
29
30
31


Mais Musica
mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Os Fru-Frus que tocam...
Quem está agora a ver os Fru-Frus...
blogs SAPO